Capuchinhas - propriedades e indicações terapêuticas

Capuchinhas - propriedades e indicações terapêuticas

As capuchinas (Tropaeolum majus), também conhecidas por chagas, pertencem à família das Tropeaeolacee. São plantas herbáceas anuais com origem nos Andes e espalharam-se pelo mundo no século XVII através dos conquistadores espanhóis. Os Incas eram grandes conhecedores e utilizadores desta planta, sendo que atualmente é usada de várias maneiras: na alimentação, na medicina popular e na proteção da horta (Usos das capuchinhas na horta).

Propriedades: Bactericidas, expetorantes, tonificantes, sedativas, diuréticas,  tonificantes, anticoagulantes, antissépticas, anti escorbútica.

Indicações terapêuticas: Infeções urinárias, escorbuto, falta de apetite, problemas digestivos, sinusite, bronquite, gripe, constipação, catarro e doenças da pele.

Principais indicações terapêuticas da capuchinha


As capuchinhas funcionam como um antibiótico natural com a vantagem de não danificarem a flora intestinal. Recomenda-se a sua toma sob a forma de chá, onde são empregadas as folhas e as flores da planta frescas. A infusão têm propriedades expetorantes e é indicada para os problemas de bronquite, catarros nasais, brônquicos, gripes e constipação. Aumenta a resistência às infecções bacterianas e deste modo ajuda a tratar as infecções urinárias e genitais, esta ação pode ser reforçada externamente sob o modo de lavagem, permitindo assim reduzir a proliferação de bactérias.

O sumo das folhas das capuchinhas é utilizado na pele pela sua ampla ação dermatológica: trata erupções cutâneas, desinfeta, aceleram a cicatrização de feridas e alivia os quadros de psoríase.
Bata 10 folhas de capuchinha no liquidificador com meia chávena de água. Molhe um algodão no sumo e passe nas zonas afetadas.

Como consumir as capuchinas


As folhas e as flores da capuchinha são comestíveis: As folhas são ricas em ferro e as flores em vitamina C e possuem um sabor apimentado semelhante ao agrião. Podem ser incluídas em omeletes e molhos, são uma mais valia quando acrescentadas às saladas, dando-lhes um toque exótico, além de as enriquecer com os seus elementos nutritivos.
Na América é habitual esmagar as flores e as folhas da capuchinha e acrescentar a pasta obtida à manteiga de barrar o pão.
As flores devem ser colhidas depois de totalmente abertas. Há quem afirme que as folhas têm melhor sabor antes da planta florescer, porém elas podem ser colhidas em qualquer altura desde que se apresentem tenras.

Frutos de capuchinha: São consumidos em conserva, sob a forma de picles. Inclusive elas são utilizadas na substituição de alcaparras, sendo apelidas de um modo popular como "alcaparra de pobre". Para o efeito os frutos devem ser colhidos imaturos, ou seja, quando se encontram ainda totalmente verdes.
➢ Coloque as sementes em água salgada por 3 dias, trocando a água diariamente. Findo o tempo, escorra as sementes de capuchinha e coloque-as num frasco de vidro seco e esterilizado. Aqueça vinagre de vinho ou de cidra temperado com cebolinha, alho, pimenta e noz moscada (não deixe ferver). Verta o vinagre aromatizado ainda quente por cima das sementes e rolhe bem o frasco. Guarde em local escuro por aproximadamente um mês antes de usar. Depois de aberto guarde no frio.

Efeitos colaterais e contra indicações das capuchinhas


O consumo intensivo da planta é contra indicado a gestantes, bebés, crianças pequenas e pacientes com doenças renais.
A planta pode causar alguma irritação da membrana da mucosa gastrointestinal, devendo ser evitada por pessoas que sofram de ulceras gastro intestinais.
Pessoas que sofram com desequilíbrios da coagulação do sangue e que sejam medicadas para o efeito devem evitar o uso excessivo da planta.

Nomes populares: Capuchinha, chagas, cinco chagas, nasúrcio, bico de papagaio, agrião do México, chaquinha, mastrugo, mastruço do Perú, flor depavão, flor de chagas, papagaios, flor do sangue.

Benefícios da Serralha para a saúde

A serralha (Sonchus oleraceus) é uma gramínea da família das Asteraceae, a mesma da alcachofra e do cardo mariano. É uma planta anual de pequeno porte, ereta, pouco ramificada, caule oco com seiva leitosa.  Ostenta uma inflorescência terminal, constituída por por várias flores amarelas. Têm origem na Asia e Europa, cresce por todo lado e afeta várias culturas.

É consumida e usada por inteiro, na medicina popular é aplicada contra vários distúrbios do corpo e da alma, na gastronomia enriquece saladas, sopas, refugados, sumos, entre outros. É rica em vitaminas A, B2, B6, C, D e E, em ferro, cálcio, manganês, magnésio,  fosforo, potássio, zinco.

Indicações terapêuticas: Distúrbios estomacais, doenças hepáticas, reumatismo, dores de cabeça, dores gerais, vitiligo, estimula o apetite, erupções cutâneas, feridas, eczemas e infecções.

Propriedades medicinais: Desintoxicante, antidepressiva, diurética, anti inflamatória, antioxidante, cicatrizante, purificadora, antimicrobiana, adstringente. 

Principais benefícios e propriedades da serralha


Ajuda a tratar vitiligo: A serralha ajuda a atenuar ou até mesmo acabar com as manchas de do vitiligo, dependo da severidade da doença. O vitiligo é uma doença não contagiosa que se caracteriza-se pela perda de pigmentação na pele, ocorre geralmente em forma de manchas brancas de diversos tamanhos, podendo ser concentradas ou dispersas. A serralha contém uma substancia chamada fenilalanina, é um aminoácido essencial que ajuda na pigmentação da pele. Porém o processo é lento e quem usa têm que ter determinação.

Têm efeito antidepressivo: A serralha age como um sedativo natural, proporcionando um efeito calmante e relaxante, permitindo uma melhor qualidade do sono. Vários estudos realizados na Alemanha indicam que as folhas de serralha têm efeitos altamente satisfatórios sobre as doenças anti depressivos, melhoram a produção de serotonina, a ansiedade e a depressão endógena.

Auxilia nos problemas digestivos: O chá de serralha têm ação estimulante da digestão, alivia as dores de estomago e estimula o aumento de produção de bílis, o liquido produzido pelo figado e armazenado na vesícula, ele atua na digestão e facilita a absorção dos nutrientes pelo intestino.

Alivia os processos inflamatórios: As folhas da serralha depois de pisadas são aplicadas em forma de cataplasma em várias partes do corpo,  funcionam na redução da dor e da inflamação, contribuem no alivio das dores reumáticas e até das dores de cabeça.

Acelera a recuperação da pele: A planta apresenta ação cicatrizante e anti inflamatória, quando usada externamente sob a forma de compressas ou infusões, possibilita uma recuperação e regeneração mais rápida dos vários tipos de lesões da derme: feridas da pele, alivia os quadros de eczema e psoríase.

Como usar a serralha


Todas as partes da planta podem ser usadas, na preparação de infusões, cataplasmas ou sumos detox. As folhas das serralha pode ser usada em saladas, sopas, farofas, esparregados. Na horta têm propriedades atrativas, atrai os pulgões para si possibilitando um ataque inferior nas outras plantas. Serve de alimento a coelhos, porcos e porquinhos da índia.

Sumo de serralha: Coloque uma serralha inteira no liquidificador, depois de previamente lavada. Junte um copo de água e acione a máquina. Coe o preparado e beba de imediato de preferencia em jejum. Este sumo é principalmente usado no tratamento do vitiligo.

Infusão de serralha: Coloque uma colher de sobremesa de serralha picada numa chávena de água fervente e tape. Mantenha abafado por 10 minutos. Coe e beba de imediato. Se procura o alivio dos problemas digestivos beba este chá antes das refeiçoes. Se pretende um chá diurético  aumente a dose de folhas de cardo para uma colher de sopa por chávena de água.

Vinho medicinal de serralha: Coloque 3 colheres de sopa de serralha picada numa garrafa de vinho branco. Deixe macerar por aproximadamente 10 dias. Findo o tempo coe o vinho e tome um cálice antes das refeiçoes principais. Devido ao teor alcoólico, esta bebida só é recomendada a adultos. É indicado à falta de apetite e anemia.

Efeitos colaterais e contra indicações da serralha


  • A serralha, à semelhança de outras ervas medicinais não pode ser consumida indiscriminadamente, em excesso ela pode apresentar efeitos tóxicos, convém sempre procurar ajuda de um especialista.
  • Não é indicada a pessoas que sofram fenilcetonúria, a planta possui fenilalanina e as portadoras desta doença não possuem a enzima responsável por quebrar esse aminoácido.
  • Deve ser evitada por portadores de problemas graves no figado, pois a planta aumenta a produção de bile e caso o figado esteja debilitado não controlará um possível excesso de bile e poderá levar a desenvolver ictericia.

A serralha tende a ser confundida com o dente de leão, elas pertencem à mesma família, mas não são a mesma coisa. Têm características físicas que as distinguem e apresentam propriedade medicinais distintas apesar de algumas coincidirem. Veja aqui: Benefícios do dente de leão.

Nomes comuns: Serralha, chicória brava, chicória selvagem, biza, lisa, ciumo, serralheiro, cerraia e serralheira, sow thistle (Inglês).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...