Benefícios da Erva de São Roberto

Benefícios da Erva de São Roberto
A erva de São Roberto (Geranium robertiamum L. ) é uma planta herbácea anual ou bienal, que pertence à família Geraniaceae e ao gênero botânico Pelargonium, o mesmo das sardinheiras. É nativa da Asia, da Europa central e meridional. Encontra-se em grande parte parte do território Português e é facilmente encontrada locais sombrios, seja em terrenos baldios, no meio de rochas e muros.

Apresenta-se como uma planta ramificada com caules finos envoltos de uma fina penugem que com o tempo ganha tons avermelhados. As folhas são verdes recortadas, muito semelhantes à salsa e vão tornando-se vermelhas com o sol. De Abril ao Outono, produz pequenas flores rosas de 5 pétalas, que dão origem a frutos rijos e bicudos.

A São Roberto é considerada uma erva daninha e pouca gente lhe dá o devido valor, mas contêm importantes propriedades terapêuticas, sendo uma boa aliada da saúde. Era bastante valorizada na idade média, onde era empregada na cura dos problemas do aparelho digestivo e para a cura de problemas relacionados com o sangue. Os Índios da América do norte (Cheroquis) usavam-na no tratamento de feridas e no estancamento de hemorragias. A planta também é valorizada na medicina tradicional chinesa, que a usa no tratamento de problemas gastrointestinais..

Propriedades da erva de São Roberto: depurativa, desintoxicante, antioxidante, anti inflamatória, vasoconstritora, diurética, antidiarreica, anti sépticas, antibacterianas, antiviróticas.

Indicações terapêuticas da erva de São Roberto


  • Ulceras de estômago e intestino
  • Coadjuvante do tratamento do cancro
  • Digestões difíceis e azia
  • Trata das infeções do aparelho urinário
  • Promove a desintoxicação do figado
  • Trata disenterias e diarreias
  • Trata alguns tipos de reumatismo e gota
  • Reduz a hipertensão
  • Auxilia no tratamento do cólon irritável
  • Estancamento de hemorragia
  • Prisão de ventre
  • Dores de garganta
  • Retenção de líquidos
  • Dores de dentes

Principais benefícios e propriedades da Erva de São Roberto


A erva de São Roberto é uma planta medicinal muito boa para tratar problemas relacionados com o sangue, têm ação purificante e é rica em ferro. Acrescenta ainda ação hemostática, ou seja, constringe o tecido e estanca hemorragias, uma mais valia no tratamento de ulceras, feridas superficiais, fluxos menstruais abundantes e hemorroides. Funciona também como estimulante do sistema imunitário.
Para o tratamento de feridas, poderá utilizar a erva de são roberto em forma de cataplasma, ou seja triturada até formar uma pasta, que depois é aplicada sobre as lesões da pele.

A erva de São Roberto é uma planta aliada no tratamento do cancro, principalmente o cancro do tubo digestivo. Ajuda também a reduzir os efeitos da quimioterapia. Alguns estudos revelam que os compostos polifenólicos da planta são os principais aliados na luta contra o cancro.

A erva de São Roberto é recomendada em problemas gastrointestinais como: digestões difíceis, disenterias, azias, diarreias, ulcera do estomago e síndrome do cólon irritável. Além disso é uma boa estimulante do figado.

Sob a forma de gargarejos, alivia problemas de garganta como dores de garganta e laringites, também trata aftas, dores de dentes, boca e gengivas inflamadas, incluindo as gengivas com sangramento.
Os bochechos bocais são realizados com a decoção da planta, à razão de 40 gr para um litro de água.

Auxilia todo o sistema urinário. A planta é detentora da ação diurética, uma propriedade que permite aumentar o fluxo urinário, contribui com a eliminação de líquidos e reduz as inflamações provocadas pela retenção de líquidos. Sendo útil no tratamento de várias afeções do trato urinário, nefrite, hipertensão arterial, gota, reumatismo, cálculos renais.

No mundo espiritual a erva de São Roberto oferece sabedoria e conhecimento interior, libertação, abertura de caminhos, eleva acima da confusão emocional, inovação, serenidade e leveza no coração.

Como usar a erva de São Roberto


Utiliza-se toda a parte aérea fresca ou seca, contudo convém frisar que a planta fresca conserva melhor os seus princípios ativos. Quando fresca a erva de são roberto têm um sabor amargo, exala um cheiro intenso e acre, depois de seca reduz um pouco essas características.
Se pretender guardar a planta seca, colha a durante a fase de floração, ate as hastes em pequenos molhos e seque-os à sombra num local arejado.

Pode ser usada fresca em alguns pratos crus ou cozinhados, em substituição da salsa como, saladas, pratos de bacalhau, guisados, feijão, etc. É bastante usual acrescentar as folhas tenras da erva ou as flores às omeletes.Há quem refira que o consumo da planta fresca alivia o cansaço.
As folhas frescas esmagadas e aplicadas na pele produzem um efeito repelente sobre os insetos.

Preparação do chá da erva de São Roberto:

Junte 20 gr da planta a 1 litro de água fervente. Abafe por 5 a 10 minutos, coe e beba 3 a 4 chávenas ao longo do dia.

Contra indicações da São Roberto:

É desaconselhada a toma da erva de São Roberto a grávidas e lactentes. O uso tópico da planta deve ser evitado em pessoas com doenças respiratórias alérgicas. Na generalidade o consumo e uso da erva de são roberto é considerado seguro, desde que consumida com moderação, a utilização excessiva pode provocar alguns desconfortos gástricos e intestinais.

Nomes populares: Erva de São Soberto, erva da agulha, bico de Grou, bico de cegonha, gerânio, falsa salsa ou salsão, salsa milagrosa, erva dos muros, relógios, erva de São Roque, passara (Ilha da Madeira), gerânio (Brasil), hierba de San Ruperto(espanhol), herbe à Robert(Francês), herb Robert (inglês).

Benefícios da Alcaravia (Carum carvi)

Benefícios da Alcaravia na saúde

A Alcaravia (Carum carvi) também conhecida por cominho ou cariz, é uma planta medicinal que pertence à família das Apiáceas. Possui importantes propriedades medicinais e condimentares, sendo por usada na cozinha e na medicina popular há mais de 5000 anos.

É encontrada no modo selvagem em várias partes da Europa e da Asia. Normalmente atinge 40 a 60 centímetros de altura. Apresenta folhas delicadamente recortadas, parecidas com as das cenouras. As flores são brancas e pequenas, agrupadas em forma de umbela, lembrando pequenos guarda chuva. Os frutos são pequeno, de cor castanha e apresentam nervuras esbranquiçadas, o aspeto é muito semelhante às sementes da erva doce.

Propriedades terapêuticas: Digestivas, antiflatulentas, estimulantes, anti ácidas, diuréticas, laxantes, purgativas, antibacterianas, aromáticas, antissépticas, galactagogas.

Indicações terapêuticas da Alcaravia


  • Trata resfriados
  • Alivia as dores nos nervos
  • Combate problemas respiratórios (tosse, bronquite)
  • Trata problemas digestivos e intestinais
  • Reduz do febre
  • Melhora a saúde e previne da queda do cabelo
  • Trata feridas e outras lesões da pele
  • Reduz a pressão arterial
  • Alivia as cólicas
  • Ameniza a flatulência, inibindo os gazes intestinais 
  • Ajuda na eliminação de vermes
  • Estimula o apetite
  • Atua nas vias urinárias e na eliminação de fluidos e toxinas
  • Trata micoses da pele
  • Diminui o colesterol e os triglicéridos
  • Previne o envelhecimento precoce
  • Fortalece e melhora a saúde dos ossos

Como usar a Alcaravia


Todas as partes da planta são utilizadas desde as folhas, raízes e sementes. As folhas tenras podem ser consumidas em saladas, cozidas ou em sopas. Frescas ou depois de secas as folhas são igualmente usadas em infusões.
➢Preparação do chá de alcaravia
1 colher de sobremesa de folhas
250 ml de água
Leve a água a ferver e junte as folhas de alcaravia. deixe a infusão levantar novamente fervura  retire do lume. Mantenha abafado por 15 minutos, coe e beba 2 a 3 chávenas ao longo do dia.

As sementes ou frutos são picante e levemente adocicados. Estão prontos a serem colhidos quando apresentam tonalidade castanha, geralmente acontece no Verão. A colheita realiza-se de manhã bem cedo, cortando as umbrelas e colocando-as num saco de papel, deixando-as a secar ao sol, por uma a duas semanas. Podem ser usados para temperar saladas, massas, pratos de carne, aromatizar queijos, bolos, azeitonas, pães, biscoitos e algumas sobremesas. As sementes de acaravia são ricas em ferro, cobre, magnésio, selênio, potássio e zinco.

Quando tenras as raízes podem ser consumidas depois de cozidas. Apresentam polpa branca e geralmente é cozinhada do mesmo modo que o nabo e a cenoura.

Curiosidades sobe a Alcaravia


  • A Alcarvia é mencionada no Papiro de Ebers, um manuscrito de ervas medicinais que data de 1500 a. C.
  • Em Portugal, a alcaravia era usada popularmente em mágicas contra a infidelidade. 
  • Segundo alguns fatos históricos a alcarvia era usada pelos Romanos há mais de 5000 anos. Era utilizada par fins medicinais e como condimento na cozinha, no tempero de legumes e peixe. A erva também era utilizada com fins exotéricos, acreditavam que ela os protegia das bruxas e das pessoas maldosas. Eram também colocadas bolsas com a planta nos túmulos dos Faraós. 
  • O óleo essencial obtido da destilação é usado na agricultura biológica como insecticida, acaricida, fungicida e inibidor de abrolhamento. 
  • Nomes populares: Alcarvia, Alcaravia, Alquirévia, Acarovia, Cariz, Carvia, Cominho armênio, Cominho dos prados, Cominho das montanhas, Cominho romano, Cominho de Pão, Cúmel, Kummel, Cuminho.

Cuidado com a confusão entre a Alcaravia e a Cicuta


A alcaravia não deve ser confundida com uma planta parecida: a Cicuta (Conium maculatum). A cicuta pertence a um grupo de plantas altamente venenosas, é nativa da América do Norte onde é considerada uma das plantas mais venenosas dessa região. Têm caules grossos e ocos, que quando cortados libertam um liquido de cor amarelada. As folhas são recortadas, com um verde intenso, que lembram salsa gigante. As flores são brancas e agrupadas em forma de umbela. Os frutos apresentam uma tonalidade cinzento esverdeado.
Todas as partes da planta são venenosas, a causa está numa toxina chamada de cicutoxina, que inibe o funcionamento do sistema nervoso central. Ela provoca convulsões, dores abdominais, vômitos, tremores, confusão, insuficiência respiratória, fibrilação ventricular, paralisia, coma e morte.
O seu veneno têm sido usada ao longo dos séculos nas pontas das flechas. O veneno é referido como o veneno de Sócrates, um filosofo que após um julgamento foi condenado à morte, com uma infusão de cicuta.

Contra indicções  e efeitos colaterais da Alcarvia


O uso da alcarvia é desaconselhado e crianças pequenas, a mulheres grávidas ou em processo de amamentação.
Quando consumida em excesso ou por largos períodos pode ser toxica. Não é recomendado ultrapassar a dose diária de 5 gramas de fruto ou de 5 gotas de óleo essencial.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...