Benefícios da Equinácea - Echinacea purpurea

Benefícios da Equinácea - Echinacea purpurea
A  equinácea Echinacea purpurea é uma planta herbácea, que pertence à família Asteraceae e é original da América do Norte. É amplamente reconhecida e valorizada  pelo seu valor ornamental e propriedades terapêuticas, sendo atualmente uma das plantas medicinais mais populares no mundo inteiro. É principalmente reconhecida pela ação imunoestimulante, que permite ativar as defesas do corpo, sendo deste modo uma preciosa ajuda na prevenção e combate de várias infeções.

Foram os Indígenas que começaram a usar esta planta medicinal, de seguida ela passou a ser usada nas mesinhas populares e atualmente ela é valorizada pela ciência, sendo já objeto de vários estudos científicos que comprovam as suas qualidades terapêuticas.
No passado foi verificado que as pessoas que faziam uso da equinácea sob forma de chá e xaropes, apresentavam mais resistência e robustez, faziam frente a climas frios, secos ou húmidos com oscilações de temperaturas, sem grandes complicações. Esta observação despertou a curiosidade dos cientista e a planta foi sujeita a vários estudos. Com o desenvolvimento do mercado e a comprovação cientifica das propriedades medicinais da equinácea, foram desenvolvidas alternativas à toma da planta, atualmente encontra-se sob a forma de cápsulas, xaropes, tinturas e sob a forma seca para preparação de infusões.

Propriedades e indicações terapêuticas da equinácea Echinaceae purpurea


Propriedades da equinácea: imunoestimulantes, antialérgicas, antifúngicas, antibacterianas, antivirais, antigripais, antiinflamatórias, antioxidantes, anticancerígenas.

Para que serve a equinácea:
➢ Gripe, constipação e resfriados
➢ Mordedura de serpentes e de aranhas
➢ Infeções do trato respiratório
➢ Dores de dentes
➢ Candidíase
➢ Inflamação da boca e gengivas
➢ Acelera a cicatrização de feridas
➢ Papeira ou caxumba (português brasileiro)
➢ Reduz as inflamações
➢ Infeções do trato urinário
➢ Abscessos
➢ Problemas de pele
➢ Artrite reumatoide
➢ Purifica o sangue

Principais benefícios da equinácea para a saúde


A equinácea é uma planta de eleição quando se pretende melhorar a imunidade. Ela age nas células relacionadas com o sistema sistema imunológico e respiratório. A equinácea é usada na forma preventiva e curativa, auxilia no tratamento de várias doenças respiratórias como gripe, constipação, resfriados, bronquite, sinusite, etc. O sucesso da planta é tal que alguns terapeutas administram a planta antes da entrada da época fria, com o intuito de fortalecer o sistema  imunológico e prevenir a incidência destas patologias. No entanto a equinácea também melhora o quadro dos sintomas já instalados, acelera a recuperação e evita as incidências das doenças respiratórias.

A equinácea têm vindo a ser usada em vários problemas de pele como psoríase, eczemas, infeções da pele, feridas, picadas de insetos, furúnculos, abscessos e cicatrizes. Ela possui uma atividade idêntica à cortisona, acelera a regeneração da pele, atua sobre a inflamação, têm efeito sedativo,  e limita o desenvolvimento dos microrganismos patogênicos.

Luta contra as infeções. Tomar equinácea ou aplicá-la sob a forma de creme na pele, pode diminuir a incidência de várias infeções externas ou internas como: malária, doenças das gengivas, herpes genital,  infeção urinária ou vaginal e várias infeções fúngicas vaginais. Atua também nas intoxicações provocadas pelas picados de insetos ou mordedura de cobras.

A equinácea têm sido alvo de estudo na área do cancro, alguns profissionais de saúde usam-na  em simultâneo com os tratamentos convencionais. Em causa está a debilidade a que o corpo fica sujeito após os tratamentos de quimioterapia e radiologia e o contributo da planta para o aumento dos glóbulos brancos e da defesa do organismo.

Como usar a equinácea


A equinácea pode ser usada de forma preventiva, mas o modo em que ela é mais eficaz quando administrada desde os primeiros sintomas. Deve tomar-se regularmente no decorrer do dia, até os sintomas findarem.
Todas as partes da planta são utilizáveis, contudo é a raiz que apresenta maior eficácia.
A raiz mastigada é utilizada em dores de dentes, inflamações da boca, dores de garganta, ela desprende um leve aroma, apresenta sabor adocicado e provoca um ligeiro adormecimento da língua.

Preparação do chá de equinácea


Chamamos-lhe chá, mas na verdade é uma infusão. Ela faz-se à razão de 3 gramas (equivalente a 2 colheres de sopa) por 1 litro de água.
Verte-se a água fervente por cima da equinácea e deixa-se em infusão por 5 minutos. Findo o tempo coa-se e bebe-se ao longo do dia.

Preparação da tintura de equinácea


Limpe as raízes da equinácea, faça-o em água corrente e escovando bem de modo a retirar todos os resíduos de solo. Poderá usar o coração das flores.
Coloque a raiz ou as flores num frasco de vidro e cubra com um álcool puro. Em vez do álcool poderá usar aguardente, vinagre, brandy  ou conhaque, mas não use álcool etílico.
Use a proporção de 100 gramas de raiz para 200 mililitros de álcool.
Certifique que a raiz fique bem coberta pelo liquido, caso contrário coloque uma pedra de rio bem lavada por cima, esta vai fazer peso e manter o material imergido.
Coloque o frasco em local sombrio e fresco, deixe macerar por 3 semanas.
Deve tomar 1/2 a 1 colher de café diluída em água, 5 vezes ao dia.

Curiosidades sobre a equinácea


Foram os Índios Americanos que começaram a usar a equinácea, eles utilizavam a planta na recuperação de feridas, queimaduras, picadas de insectos, antidoto contra a raiva e as mordeduras de serpentes. Eles chamavam a planta de raiz de alce, pelo facto destes animais a ingerirem quando se apresentam doentes ou feridos e foi observando a natureza que os seres humanos foram aprendendo sobre o uso desta planta.

Ente as várias especies destacam-se a Echinacea purpurea, Echinacea angustifolia e a Echinacea pallida, sendo a primeira a mais comum. São todas nativas da América do Norte, onde crescem nas planícies e nas margens arenosas dos rios, mais concretamente no vale do Mississípi.

A equinácea pode ser encontrada em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação, super mercados ou em algumas feiras. Encontra-se na sua forma natural depois de seca, ou sob a forma de cápsulas, comprimidos, pomadas, cremes, batons, sachés e tinturas. Existem inclusive preparados enriquecidos com extrato de tomilho e própolis, com o fim de obter um produto mais eficiente. Leia também: Principais propriedades e benefícios do tomilho

Contra indicações e efeitos colaterais da equinácea


A utilização da erva é contra indicada a mulheres grávidas ou em fase de amamentação, em doentes que sofram de de doenças imunológicas sem o devido acompanhamento médico, hepatite, tuberculose, esclerose múltipla, leucose, colagenose, pacientes com vírus HIV.
Algumas pessoas podem desenvolver reações alérgicas à equinácea, sendo mais propensas as que apresentam tendencia genética a doenças alérgicas.
Os efeitos colaterais mais comuns são erupções cutâneas, náuseas ou dores de estômago ou agravamento das crises asmáticas.
Informe os profissionais de saúde sobre qualquer complemento coadjuvante de saúde, de modo a permitir um diagnostico seguro.

Nomes populares: Equinácea, flor de cone, flor roxa cônica, purpura, rudbéquia, cometa roxo, coneflower.

Propriedades medicinais das plantas - Guia de A a Z

Propriedades medicinais das plantas - Guia de A a Z

Ao longo da história têm-se feito registos sobre o seu uso das plantas medicinais, contudo a sua  utilização como remédio é tão antigo, que não se sabe ao certo quando começou, sabe-se que surgiu muito antes da escrita.
Compreenda como atuam as plantas, os frutos e outros produtos de origem natural.

Guia das propriedades medicinais


Adstringente: Aperta, adstringe e comprime os tecidos. Contrai os vasos capilares, reduz as hemorragias, diminui as secreções, na pele constringe os tecidos, fecha os poros e reduz a oleosidade.

Analgésico: Alivia a odor. Ex: Hortelã, alfazema, gengibre, açafrão da índia, sementes de funcho, boldo da terra.

Antibacteriana: Inibe o desenvolvimento de bactérias. Ex: Hipericão, tomilho, alfazema, manjericão, óleo de coco, bicarbonato de sódio.

Antiemético: Acalma o estomago, alivia enjoo, náuseas e vômitos. Ex: Gengibre.

Anti espasmódico ou espasmolítico: Ameniza espasmos e cãibras.Ex: hipericão.

Antifúngico ou antimicótico: Trata e previne algumas doenças provocadas por fungos. Ex: Vinagre de maça, sal do mar, alho, bicarbonato de sódio, óleo de coco.

Anti inflamatório: Reduz as inflamações. Ex: Gengibre, açafrão.

Antioxidante: Abranda a deterioração natural das células. Ex: Beterraba vermelha, goji berry, laranja, tomate, chá verde.

Antisséptico: Desinfeta, inibe e destrói os microrganismos que podem provocar infeções. Ex: Alho.

Bactericida: Mata as bactérias. Ex: Álcool.

Carminativo: Reduzem os gazes intestinais e facilita a sua expulsão: Ex: Sementes de funcho, hortelã.

Colagogo: Estimula a contração da vesícula e provoca a saída da bílis. Dente de leão, boldo, calêndula, carqueja, serralha.

Demulcente: Acalma e protege os tecidos internos, reduzem e acalmam irritações e inflamações. Ex: Aveia, linhaça, barbas de milho, malva.

Descongestionante: Desobstrui as vias respiratórias, reduzem a quantidade de muco e favorecem a sua eliminação. Ex: Eucalipto, hortelã, agrião

Desobstruente linfático: Ajuda ao bom funcionamento linfático. Ex: Echinacea purpurea.

Diaforético: Sudorifico, induz à transpiração. Ex: Flor de sabugueiro.

Digestivo: Melhora e estimula a digestão. Ex: Camomila, folhas de laranjeira, lúcia lima.

Diurético: Aumenta o volume e o fluxo urinário, reduzem a retenção de líquidos. Ex: Funcho, salsa, dente de leão, cavalinha.

Emenagogo: Estimula o fluxo menstrual. Ex: Arruda, Poejo.

Emético: Induz ao vomito.

Emoliente: Amacia, impede a desidratação da pele e previne o ressecamento . Ex: Balsamo, beldroega, calêndula.

Estimulante: Aumenta a atividade cognitiva e motora. Ex: Chá verde, café.

Expetorante: Liberta as vias aéreas, permite reduzir a viscosidade do muco, fazendo com que ele seja eliminado mais facilmente. Ex: Alho, poejo, eucalipto, agrião.

Febrífugo: Previne e reduz a febre, ajuda a baixar a temperatura corporal que está acima do normal. Ex: Tília, flor de sabugueiro.

Hemostático: Estanca as hemorragias. Ex: Erva de são roberto, urtiga.

Laxante: Estimula o funcionamento do intestino, levando o individuo a defecar. Ex: Alcaravia, carqueja, tamarindo.

Psicotrópico: Atua sobre o sistema nervoso central e altera o estado da mente. Ex: Cannabis.

Relaxante: Alivia e relaxa a tensão física. Ex: Tília, erva príncipe.

Sedativo: Acalma os nervos. Ex: Erva príncipe, Alfazema, tília, camomila.

Vermifugo: Mata vermes e parasitas: Hortelã, alho, Romã, folhas de nogueira.

Sudorífero: Estimula e provoca a transpiração, colabora com a diminuição do febre. Sabugueiro, poejo, carqueja.

Tonificante: Revitaliza, fortifica, vigoriza os tecidos. Funcho, alecrim, tília, capuchinhas, carqueja, urtiga.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...