Capuchinhas - propriedades e indicações terapêuticas

Capuchinhas - propriedades e indicações terapêuticas

As capuchinas (Tropaeolum majus), também conhecidas por chagas, pertencem à família das Tropeaeolacee. São plantas herbáceas anuais com origem nos Andes e espalharam-se pelo mundo no século XVII através dos conquistadores espanhóis. Os Incas eram grandes conhecedores e utilizadores desta planta, sendo que atualmente é usada de várias maneiras: na alimentação, na medicina popular e na proteção da horta (Usos das capuchinhas na horta).

Propriedades: Bactericidas, expetorantes, tonificantes, sedativas, diuréticas,  tonificantes, anticoagulantes, antissépticas, anti escorbútica.

Indicações terapêuticas: Infeções urinárias, escorbuto, falta de apetite, problemas digestivos, sinusite, bronquite, gripe, constipação, catarro e doenças da pele.

Principais indicações terapêuticas da capuchinha


As capuchinhas funcionam como um antibiótico natural com a vantagem de não danificarem a flora intestinal. Recomenda-se a sua toma sob a forma de chá, onde são empregadas as folhas e as flores da planta frescas. A infusão têm propriedades expetorantes e é indicada para os problemas de bronquite, catarros nasais, brônquicos, gripes e constipação. Aumenta a resistência às infecções bacterianas e deste modo ajuda a tratar as infecções urinárias e genitais, esta ação pode ser reforçada externamente sob o modo de lavagem, permitindo assim reduzir a proliferação de bactérias.

O sumo das folhas das capuchinhas é utilizado na pele pela sua ampla ação dermatológica: trata erupções cutâneas, desinfeta, aceleram a cicatrização de feridas e alivia os quadros de psoríase.
Bata 10 folhas de capuchinha no liquidificador com meia chávena de água. Molhe um algodão no sumo e passe nas zonas afetadas.

Como consumir as capuchinas


As folhas e as flores da capuchinha são comestíveis: As folhas são ricas em ferro e as flores em vitamina C e possuem um sabor apimentado semelhante ao agrião. Podem ser incluídas em omeletes e molhos, são uma mais valia quando acrescentadas às saladas, dando-lhes um toque exótico, além de as enriquecer com os seus elementos nutritivos.
Na América é habitual esmagar as flores e as folhas da capuchinha e acrescentar a pasta obtida à manteiga de barrar o pão.
As flores devem ser colhidas depois de totalmente abertas. Há quem afirme que as folhas têm melhor sabor antes da planta florescer, porém elas podem ser colhidas em qualquer altura desde que se apresentem tenras.

Frutos de capuchinha: São consumidos em conserva, sob a forma de picles. Inclusive elas são utilizadas na substituição de alcaparras, sendo apelidas de um modo popular como "alcaparra de pobre". Para o efeito os frutos devem ser colhidos imaturos, ou seja, quando se encontram ainda totalmente verdes.
➢ Coloque as sementes em água salgada por 3 dias, trocando a água diariamente. Findo o tempo, escorra as sementes de capuchinha e coloque-as num frasco de vidro seco e esterilizado. Aqueça vinagre de vinho ou de cidra temperado com cebolinha, alho, pimenta e noz moscada (não deixe ferver). Verta o vinagre aromatizado ainda quente por cima das sementes e rolhe bem o frasco. Guarde em local escuro por aproximadamente um mês antes de usar. Depois de aberto guarde no frio.

Efeitos colaterais e contra indicações das capuchinhas


O consumo intensivo da planta é contra indicado a gestantes, bebés, crianças pequenas e pacientes com doenças renais.
A planta pode causar alguma irritação da membrana da mucosa gastrointestinal, devendo ser evitada por pessoas que sofram de ulceras gastro intestinais.
Pessoas que sofram com desequilíbrios da coagulação do sangue e que sejam medicadas para o efeito devem evitar o uso excessivo da planta.

Nomes populares: Capuchinha, chagas, cinco chagas, nasúrcio, bico de papagaio, agrião do México, chaquinha, mastrugo, mastruço do Perú, flor depavão, flor de chagas, papagaios, flor do sangue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...